Brasil

Bolsonaro defende redução da maioridade penal e fim das ‘saidinhas’ nas prisões

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, defendeu nesta segunda-feira (15) a redução da maioridade penal e o fim das “saidinhas das prisões”. Jair Bolsonaro saiu de casa às 10h30 e foi visitar o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio, o Bope. Ele não falou com a imprensa, mas publicou nas redes sociais um vídeo do encontro dele com os policiais.

Em um discurso de cerca de cinco minutos, Bolsonaro voltou a defender proteção judicial para policiais que matam em serviço.“Nós temos que preservar a vida humana das pessoas de bem e eles são as pessoas de bem. Quando criticam, eu até falo: ‘se não tá bem com a Polícia Militar, imagine sem ela?’. Então, nós temos que mudar isso daí. E mudar como? Pelo exemplo. Tendo gente do nosso lado que trabalhe para segurança visando preservar a vida dos policiais. O excludente de ilicitude não é apenas para os policiais é para todo cidadão de bem. Isso existe na legislação americana. A gente está costurando em Brasília, partindo do princípio que vai se eleger, né? Como aprova para que vocês tenham paz, após a missão têm que ser condecorados e não processados. Acho que só dessa forma nós podemos mudar o destino do Brasil”.

Em outro trecho do discurso, o candidato do PSL pediu o apoio dos policiais militares. “É que só temos duas opções para o Brasil no dia 28. Então, está na cabeça de vocês qual deve ser essa pessoa que realmente poderia dar esperança, não para vocês, mas por nosso povo brasileiro. Esperança de termos valores familiares respeitados, respeitando a criança em sala de aula, fugindo da ideologia que nos afeta há décadas, e ter independência, que eu tenho, de formar um ministério para trabalhar para nós, o povo brasileiro, e não pra agremiações político-partidárias. É o que eu estou propondo a fazer”.

A segurança pública foi o principal tema do candidato ao longo do dia. Nas redes sociais, Jair Bolsonaro falou sobre o combate à violência. Listou uma série de propostas e medidas que pretende tomar caso seja eleito.

Contra a saidinha nas prisões; a favor do livre mercado; contra ideologia de gênero e doutrinação nas escolas; contra o desarmamento; livre de acordões com corruptos para atender aos interesses da nação e não de partidos políticos; contra o aborto; a favor da redução da maioridade penal.

Bolsonaro também falou sobre educação, e homenageou os professores pelo dia, dizendo: “A inversão dos valores dificulta a autoridade do professor na sala de aula. São muitos os relatos e registros de agressão. Desrespeito e humilhação. Resgatar a referência que sempre representaram é também uma forma de valorizá-los”. No fim do dia, Bolsonaro recebeu a visita do bispo auxiliar do Rio, Dom Antônio Augusto Duarte.

Fonte: G1

Categorias
BrasilNotíciasPolítica
FACEBOOK