Brasil

Eleições 2018: Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil com mais de 57 milhões de votos

Os brasileiros foram às urnas mais uma vez neste domingo (28), para eleger o novo presidente da República; Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito o novo presidente. Com 100{8c9c9d10812d4e6409e0eafbae8c448eda1b128f4dc30a26f1bb95deb01e6275} das urnas totalizadas, ele teve 55,13{8c9c9d10812d4e6409e0eafbae8c448eda1b128f4dc30a26f1bb95deb01e6275} dos votos válidos — seu adversário, Fernando Haddad (PT), conseguiu 44,87{8c9c9d10812d4e6409e0eafbae8c448eda1b128f4dc30a26f1bb95deb01e6275}. O números traduzem que Bolsonaro teve 57.796.972 votos, e Haddad teve 47.038.972 votos.

Após a vitória, o capitão da reserva fez dois discursos, empregando tons distintos a públicos diferentes. No primeiro deles, transmitido ao vivo no Facebook a seus seguidores, Bolsonaro manteve o tom belicoso contra a esquerda e a imprensa. Em seguida, no “discurso da vitória”, veiculado também ao vivo por emissoras de televisão, o presidente eleito adotou retórica mais conciliadora. Em ambos, falou em governar com respeito à democracia e à Constituição.

Bolsonaro venceu em 15 estados e no Distrito Federal no 2º turno das eleições de 2018. Fernando Haddad (PT), em 11. Nas capitais, o placar foi de 21 a 6. Nesses locais, o presidente eleito teve mais de 50{8c9c9d10812d4e6409e0eafbae8c448eda1b128f4dc30a26f1bb95deb01e6275} dos votos válidos, cálculo que exclui os brancos e os nulos.

Bolsonaro perdeu em 1 estado e em 2 capitais nas quais havia vencido no 1º turno: Tocantins, Aracaju e Recife deram mais votos a Hadadd neste domingo (28). O candidato do PT também ganhou no Ceará e na capital, Fortaleza, que haviam dado vitória a Ciro Gomes (PDT) no primeiro turno.

Bolsonaro votou com colete à prova de balas e escolta da Polícia Federal

O então candidato Jair Bolsonaro (PSL) votou na manhã deste domingo vestindo um colete à prova de balas. Diferente do primeiro turno, o esquema de segurança na Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi reforçado. Eleitores, até mesmo crianças, foram revistados ao entrar na escola. Na porta da seção do candidato, quatro guardas do exército, seis agentes da polícia federal e um cão farejador faziam a segurança.

Bolsonaro saiu por trás da escola, escoltado por mais cinco carros. Guardas do Exército fizeram um cordão humano que isolou a imprensa de perto do candidato. De manhã, antes da chegada do candidato, a Polícia Federal fez uma varredura no colégio com cães farejadores.

Categorias
BrasilEm destaquePolítica
FACEBOOK