Brasil

Tenente-coronel Aleixo é escolhido para coordenar projeto piloto de enfrentamento à criminalidade no ES

O tenente-coronel Sebastião Aleixo, é ex-comandante do 2º Batalhão em Nova Venécia e foi um dos escolhidos para coordenar as ações do projeto de enfrentamento á criminalidade e violência desenvolvido pelo Ministro da justiça Sergio Moro.

O Ministro da Justiça, Sergio Moro junto com os profissionais da segurança pública que vão coordenar as ações do projeto piloto de enfrentamento a criminalidade e a violência, entre eles o tenente-coronel Sebastião Aleixo (direita), que vai coordenar as ações no Espírito Santo.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) anunciou, na manhã desta quarta-feira (15), os municípios de Ananindeua (PA), Paulista (PE), Cariacica (ES), Goiânia (GO) e São José dos Pinhais (PR), como participantes do projeto piloto de enfrentamento à criminalidade  e  a violência. O anúncio foi feito pelo ministro Sergio Moro durante abertura de seminário de capacitação dos representantes e coordenadores das forças-tarefa da Força Nacional nos municípios.

Aqui no Espírito Santo, o município de Cariacica será o primeiro a receber as ações do projeto, o tenente-coronel Aleixo, ex-comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar será o coordenador das ações desenvolvidas por homens da Força Nacional, “Fui escolhido para ser o coordenador da Força Tarefa por parte da PM aqui no Estado”, disse; Perguntado sobre como será as ações desenvolvidas, Aleixo respondeu, “Não é viável comentar o programa antes de sua instalação, posso mencionar que o programa terá uma ação muito mais abrangente do que apenas ações ostensivas, repressivas e de inteligência. Será algo multi interdisciplinar, isso me agradou muito em poder contribuir com o projeto do ministro da justiça Sergio Moro”, comentou o tenente-coronel.

De acordo com o ministro Sergio Moro, para a escolha das cidades foram considerados os critérios de ranqueamento da violência, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), além da aderência dos governos locais para recepção do projeto. O projeto associa ações de força-tarefa e de promoção social para implementação de políticas públicas de segurança e está em fase de planejamento, com previsão de ser implementado no segundo semestre deste ano.

“Esse é um projeto da União, no sentido de que envolve tanto o governo federal, como o governo estadual e o município escolhido para a realização desse projeto. A ideia é a realização de uma espécie de contrato. É, no fundo, um acordo de vontades entre as três unidades da federação envolvidas para uma atuação integrada em matéria de segurança pública a fim de reduzir os índices de criminalidade altos desses municípios”, disse Moro ao anunciar as cidades escolhidas para o projeto piloto.”

“Além de envolver profissionais de segurança pública, os contratos locais prevêem a realização de ações de políticas sociais, políticas de urbanismo, políticas na área da cidadania, educação, desenvolvimento regional, saúde, direitos humanos, cultura, lazer e políticas de promoção econômica nas cidades escolhidas. Segundo o Ministério da Justiça, as atividades integradas vão contribuir para a reconstrução sociocultural e para a implantação de políticas de segurança de cidades, tornando-as capazes de superar altos índices de violência, diminuindo progressivamente os índices de homicídio.

“Além das ações dos agentes de segurança, vão ser realizadas ações políticas de outra natureza. Por exemplo, medidas urbanísticas, políticas relacionadas a oportunidades sociais e econômicas, educação e saúde. Tudo isso focalizado a ações voltadas a diminuição da violência”, explicou o ministro.

Categorias
BrasilGeralNotíciasPolítica
FACEBOOK