Vereadores de São Gabriel da Palha aprovam Lei que volta a ter 1 farmácia de plantão

O Projeto de Lei foi aprovado por 9 votos favoráveis e 4 contrários, de acordo com a nova Lei, além da farmácia privada, a famácia pública vai funcionar de 7h ás 19h.

Aprovado no dia 18 de dezembro do ano passado, durante uma sessão extra ordinária na Câmara de Vereadores de São Gabriel da Palha, o projeto de lei 88/2018, recebeu a maioria dos votos, ou seja, dos 13 vereadores, 9 votaram favoráveis e 3 contra. O projeto de lei trouxe um assunto que levantou polêmicas em 2017, trata-se do plantão de farmácias no município, que volta a ter uma farmácia por plantão semanal.

Até dezembro do ano passado a escala de plantão de farmácia tinha duas farmácias funcionando para atender a população, a partir de agora, com a sanção da Lei pela Governo Municipal, apenas uma farmácia privada estará na escala de plantão, além da farmácia pública que também funcionará de 7h ás 19h.

Votaram a favor de uma farmácia por plantão os vereadores: Toninho Lopes, Getúlio Filho, Juninho Pinaffo, Braz Monfardini, Leandro Bragato, Guinha Pinheiro, Luiz Vial, Tiago Rocha e Delizete Baptista. Votaram contra a redução e a favor de manter duas farmácias por plantão, os vereadores: Dellamar Almeida, Waguinho da saúde e João Teixeira.

De acordo com o novo  projeto de lei aprovado na Câmara de Vereadores, as farmácias vão funcionar em horário de atendimento estabelecido de 7h as 18h, após esse horário a população terá uma farmácia de plantão que funcionará de porta aberta até as 21h e depois o atendimento será pela janelinha até as 7h do dia seguinte.

Um levantamento feito pelo Portal Momento aponta que em São Gabriel da Palha existem 17 farmácias, e com a nova escala, algumas farmácias vão ter um plantão por ano. Essa mudança agradou os donos de farmácias, segundo eles duas farmácias de plantão em São Gabriel da Palha é inviável financeiramente, pois as vendas são poucas e os gastos com funcionários, vigilância, água e energia dobram.

“Foi feita uma experiência durante o ano passado em se ter duas farmácias de plantão, essa experiência não foi muito boa, houve um cansaço pro setor, como patrão eu poderia dizer que seria bom por ter mais plantões; por outro lado entendo o lado dos funcionários que tiveram aumento na carga horária e também o aumento de despesas, posso citar aqui o horário de funcionamento do Banestes, que acabou com o funcionamento 24h, eles fizeram uma pesquisa e notaram que é inviável funcionar 24 h, pois são 24h de gasto com energia e vigilância e risco de arrombamento, além do volume de pessoas nesse horário não era vantajoso e isso aconteceu com as farmácias, o funcionamento de duas farmácias funcionando 24h em São Gabriel não é viável, graças ao sindicato, aos vereadores que entenderam isso por parte da prefeita, voltou-se o plantão de uma só farmácia”, disse Jacimar Lodi, representante da categoria.

Por outro lado, a população critica, ” A nossa cidade está crescendo, temos esse monte de farmácias e com uma por plantão ficamos as vezes nas mãos deles, pois no horário normal o preço de determinado medicamento é um, e no plantão é outro, sempre mais caro, já passei por isso; e com mais de uma farmácia no plantão temos oportunidade de buscar um preço mais barato, além disso tem farmácias que não tem muitos medicamentos”, comentou o costureiro Luciano Dias, morador do bairro Santa Helena.

Sobre o preço e a falta de medicamento, Lodi disse que”Nós temos um grupo grupo no WhatsApp App, entre os empresários, nos comprometemos um com o outro para não deixar faltar o medicamento receitado quando o cliente chegar  na farmácia de plantão e não tiver o medicamento, nenhuma uma farmácia vai ter todos os medicamentos, pode acontecer de não ter, e aquela  que estiver de plantão vai solicitar no grupo e vamos fornecer; a minha preocupação era com valores, não é como por exemplo abastecer o carro no posto de combustível, lá o preço não é tabelado é estipulado pelos donos de postos, já o medicamento existe o ABC Farma que rege o preço dos medicamentos, lá tem o preço máximo que o consumidor pode pagar, mas nós praticamos o preço reduzido, ninguém vai trabalhar acima do preço, se o consumidor se sentir lesado, tem os órgãos de defesa”, finalizou Lodi.

FACEBOOK

NOTÍCIAS RELACIONADOS