Notícias

2º Batalhão e Associação Comunitária de Segurança de Vila Valério repudiam declarações de vereador que foi detido por dirigir embriagado



PUBLICIDADE



O comando do 2º Batalhão da Polícia Militar de Nova Venécia repudiou as declarações do vereador Ricélio Linhares que foi detido por dirigir embriagado e se negado a abordagem, o caso ganhou grande repercussão no meio militar após a publicação da reportagem pelo Portal Momento; o vereador se negou a ser submetido a abordagem e tentou intimidar os policiais, dizendo que era amigo do comandante do Batalhão e que os militares iriam ser transferidos de Vila Valério por o terem abordado e o levado algemado no cofre da viatura.

O caso aconteceu na madrugada desse domingo (19), as informações apuradas apontam que por volta de meia noite, um veículo corolla, de cor prata passava em frente ao Destacamento da PM em Vila Valério e em seu interior uma mulher gritava por socorro, os policiais seguiram o veículo e ordenaram com a sirene para que o motorista parasse o veículo, ele então porém acelerou e fugiu, parando somente no bairro Nossa Senhora da Penha, ao sair do veículo, os policiais verificaram que se tratava do vereador. Além de não aceitar ser abordado e tentar intimidar os policiais, o vereador teria dito que era membro do Conselho de Segurança do município e que por isso “dá dinheiro para bancar os superiores”, o vereador disse ainda que os policiais não sabiam com quem eles estavam mexendo. Ricélio foi detido e conduzido para a delegacia de plantão.



Em nota, o Associação Comunitária de Segurança de Vila Valério repudiou as declarações do vereador e classificou como mentirosa a fala de dizer que faz parte do Conselho de Segurança, veja: “Em matéria veiculada esta manhã (19/01), no site de notícias Portal Momento, onde citou uma fala em que o vereador citado na reportagem fez menção de ser membro desta instituição, sendo que então viemos a público esclarecer que o citado não faz parte da diretoria ou conselho fiscal desta organização. Que ainda, o Estatuto interno desta proíbe a participação de políticos eleitos em cargos de direção, send que cumprindo fielmente pelo zelo e bom nome da Associação, esclarecemos a sociedade”, a nota foi assinada pelo presidente André Camilo Pires.

O comandante do 2º Batalhão, tenente-coronel Mario Dal Col, informou ao Portal Momento que as declarações do vereador é uma inverdade, e que tomou ciência da ocorrência e apoia as ações dos seus policiais e negou qualquer influência política e financeira em seu comando, disse ainda que o vereador pode responder pelas palavras na qual cita os oficiais do Batalhão, o comandante disse que parabenizou os seus policiais pela forma como conduziram a ocorrência e não se deixaram intimidar, e espera que o vereador se retrate.




Categorias
NotíciasPolicial
FACEBOOK
PUBLICIDADE
------- PUBLICIDADE -------

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Close Bitnami banner
Bitnami