Notícias

5 policiais vão representar a categoria na Assembleia Legistiva

Com cinco candidatos eleitos, policiais civis e militares vão ganhar força na Assembleia Legislativa do Estado, dois anos após a greve que fragilizou a Polícia Militar, os policiais que ganharam a eleição já planejam se unir para lutar por pautas ligadas à Segurança Pública. Dos escolhidos, três são do PSL, partido do do candidato Jair Bolsonaro, que cresceu de forma avassaladora em todo o Brasil. A sigla ainda elegeu o jornalista e apresentador Torino Marques, que também prometeu dar suporte aos policiais capixabas. O PSL terá a maior bancada da Assembleia.

Dois desses policiais, o capitão Assumção e o coronel Alexandre Quintino, ambos do PSL, respondem a processos ligados à greve da Polícia Militar, em fevereiro de 2017. O delegado Danilo Bahiense, também do PSL,  que trabalhou na superintendência técnico-científica da Polícia Civil será deputado estadual pela primeira vez. O delegado Lorenzo Pazolini (PRP), conhecido pelo atuação na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, também é uma novidade na Ales, sendo o segundo deputado mais votado. Pazolini, que recebeu o apoio do senador Magno Malta, que não conseguiu a reeleição, afirmou que pretende articular uma atuação conjunta com os colegas policiais na Assembleia. “Vamos sentar, nos reunir com os colegas, os novos deputados que representam as instituições policiais. Vamos traçar estratégias comuns. Vamos atuar conjuntamente porque ninguém faz nada sozinho”, disse.

Além das caras novas, o investigador aposentado Euclério Sampaio (DC) vai para o 5° mandato na Assembleia Legislativa. Euclério não nega a possibilidade de se juntar ao grupo, mas pontua que essa atuação precisa ser favorável a todos agentes e não só para aqueles com patente alta. “Eu posso ir ao grupo, se o objetivo for para a população e para toda a categoria da segurança e não só para aqueles que estão no topo da carreira”, comentou Euclério.

A discussão da Segurança Pública também domina o executivo. Em entrevista à Rádio CBN, o governador eleito Renato Casagrande (PSB) revelou que pretende rever a extinção do Batalhão de Missões Especiais (BME) e da Rotam e que pode reverter expulsões de policiais acusados de envolvimento com a paralisação da PM.



Fonte: Rádio CBN Vitória

Categorias
Notícias
Facebook Pagelike Widget
------- PUBLICIDADE -------