Em destaque

Anúncio de uma nova paralisação da PM no Espírito Santo circula nas redes sociais e Associações de classe negam envolvimento

O anúncio de uma nova paralisação da Polícia Militar do Espírito Santo começou a circular na noite dessa quarta-feira (6), nas redes sociais, principalmente em grupos de Whatz App de policiais e agentes de segurança pública, o comunicado trás a imagem de uma viatura da PM em cima de um guincho, e com os dizeres: PM pede Socorro!, Vai Parar!, A Polícia Militar está sucateada!, o comunicado informa ainda que no próximo dia 15 de novembro a PM vai parar em resposta ao descaso do Governo. “Ninguém vai trabalhar em viatura sucateada e haverá Operação Padrão dos que estiverem escalados, vamos lotar os DPJ e não haverá policiais nas ruas”, diz a postagem.

As associações que representam a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros negam a autoria e compartilhamento de mensagens que indicam uma suposta paralisação dos agentes de segurança pública. O presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM e do Corpo de Bombeiros, cabo PM Jackson Eugênio Silote, condenou a ameaça de nova greve e salientou que as entidades de classe nada têm a ver com essa atitude, assim como não tiveram com o movimento de 2017,”Acredito que tal mensagem seja ato de oportunista querendo holofotes ou criando desgastes para o governo”, criticou cabo Eugênio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos da PM e do Corpo de Bombeiros, capitão da PM Neucimar Rodrigues de Amorim, disse que os representantes das associações vão se reunir na tarde desta quinta-feira (7) para discutir o conteúdo compartilhado e definir um posicionamento oficial dos representantes. “Nós, entidades de classe e presidentes de associações da Polícia e dos bombeiros militares, não temos nada a ver com isso. Não fomos nós quem divulgamos esse fato. Isso não partiu das entidades de classe da PM, desconheço a origem. Repudiamos essa manifestação, fomos vítima das últimas movimentações grevistas em 2017. A gente não quer isso novamente para o nosso Estado”, disse Amorim.

Categorias
Em destaqueEstadoPolicial
FACEBOOK