Notícias

Após expulsão, Gabriel Monteiro será reintegrado à PM do RJ; entenda o caso

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro esclareceu, no final da tarde desta quarta-feira (5), o motivo que levou à expulsão do soldado Gabriel Monteiro por deserção. No entanto, ele será reintegrado à corporação após ter se apresentado ainda na tarde de ontem, o soldado alegou que estava afastado por atestado assinado pela própria PM.

Em nota, a PMERJ informou que Gabriel não se apresentava ao serviço no 34ºBPM (Magé) desde 22 de julho. “Seguindo o regulamento interno da Corporação, o comando da unidade enviou viatura ao endereço do policial, diariamente, a partir do segundo dia de ausência, repetindo o procedimento até completar o prazo. Em nenhuma dessas visitas o policial foi localizado”, afirma.

Ainda segundo a corporação, o soldado faltou ao serviço 52 vezes durante o período em que trabalhou efetivamente como militar. “Acrescente-se ainda que o soldado Gabriel foi apresentado no 34º BPM em 16 de março e que até o dia 30 de julho (data em que se consumou a sua deserção) foi escalado em 45 serviços, tendo faltado a 20 dentre os quais, apenas seis de forma justificada”, explica a PMERJ.



A expulsão do soldado da PM foi publicada no boletim interno de terça-feira (4). Só após isso, segundo a corporação, o policial se apresentou, na tarde desta quarta-feira. Ele será reintegrado nas fileiras da PMERJ e responderá em liberdade pelo crime de deserção.

Gabriel também é alvo da Comissão de Revisão Disciplinar por quebra de hierarquia. O soldado é acusado de “desrespeitar” o coronel Ibis, ex-comandante-geral da corporação após tê-lo acusado de envolvimento com o Comando Vermelho. Esses comportamentos levaram o soldado a receber o conceito de “mau” na ficha disciplinar, a pior das classificações previstas.

O que diz o soldado Gabriel Monteiro

Na manhã desta quarta, Gabriel gravou um vídeo em disse que foi surpreendido pela expulsão e que só ficou sabendo dela pela reportagem do jornal O Globo. Nas imagens, o soldado procura um médico da PM que teria assinado um atestado de dispensa para ele.

Após se apresentar à corporação, o youtuber postou uma mensagem no Twitter informando que o atestado de perícia que o teria liberado do serviço não foi registrado no atos da PMERJ.

Comentar
Categorias
NotíciasPolicial
------- PUBLICIDADE -------

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Close Bitnami banner
Bitnami