Em destaque

Deputados do Espírito Santo fiscalizam hospital público e assunto vira polêmica

A visita de um grupo de deputados do Espírito Santo a um hospital público tem causado polêmica nas redes sociais e até discussão durante sessão na Assembleia Legislativa. A visita aconteceu na tarde da última sexta-feira (12), quando os deputados Lorenzo Pazolini (Republicanos), capitão  Assunção (Patriota), Vandinho Leite (PSDB), Carlos Von (Avante), Torino Marques e Danilo Bahiense (PSL) chegaram de surpresa no Hospital Dório Silva, na Serra.O objetivo da visita, segundo os deputados, era apurar denúncias sobre as condições de trabalho precárias no hospital. Segundo eles, quase 100{54aed5f4fddb6d735aeea9fa8da5693000eabce0382a3ccc21c416a10a0f3b2b} dos leitos estavam ocupados por pacientes com Covid-19

A ida dos parlamentares ao hospital levantou uma série de críticas, principalmente pelo governador Renato Casagrande e pelo secretário de estado da Saúde, Nésio Fernandes, por ter acontecido um dia após o presidente da República ter sugerido que  a população entrasse nos hospitais e filmasse enfermarias e UTIs para verificar a taxa de ocupação. “Tem hospital de campanha perto de você, hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. “Muita gente está fazendo isso e mais gente tem que fazer”, disse Bolsonaro, em transmissão ao vivo pela internet.

A Secretaria de Saúde (Sesa) repudiou a visita surpresa de deputados estaduais à unidade de saúde.  A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) fez uma representação ao Ministério Público do Espírito Santo (MPES) pedindo abertura de procedimento investigatório contra os parlamentares. O governo do Espírito Santo acusa os parlamentares de crime contra a saúde pública. O governador Renato Casagrande (PSB), chamou o ato de invasão e disse que eles acessaram o hospital sem os aparatos de proteção necessários. O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes (PCdoB), disse que o comportamento dos deputados é “radical, xiita e de baixo perfil”.



O deputado Lorenzo Pazolini afirmou que eles não invadiram nenhum hospital, segundo ele a visita não podia ser feita com aviso prévio, por se tratar de uma fiscalização. O deputado Carlos Von disse  que “Ao contrário do que foi dito, covardemente, não houve invasão, tendo em vista que os parlamentares se identificaram e tiveram a entrada franqueada à Unidade Hospitalar”.

Categorias
Em destaquePolítica

PUBLICIDADE