Ex-governador Gerson Camata é morto a tiro por um ex-assessor na Praia Canto em Vitória

O ex-governador do Espírito Santo e ex-senador pelo estado por três mandatos, Gerson Camata(MDB), de 77 anos morreu vítima de tiros na tarde desta quarta-feira (26), na Praia do Canto, em Vitória. O crime ocorreu em frente a um restaurante, próximo à esquina das ruas Chapot Presvot e Joaquim Lyrio na Paria do Canto, em Vitória.

O ex-governador foi atingido por um tiro na cabeça. O Samu chegou a ser acionado, mas Gerson Camata não resistiu e morreu no local. O principal suspeito de matar o ex-governador foi preso momentos depois, ainda no bairro onde ocorreu o crime, e de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública o suspeito do crime,é um ex- assessor de Gerson Camata, ele foi identificado por Marcos Venício de Andrade, de 66 anos, foi detido e levado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde confessou a autoria do crime.

De acordo com o secretário de segurança pública, coronel Nylton Rodrigues, a motivação do crime foi uma ação judicial movida pelo ex-governador contra seu ex-assessor Marcos Venício. “Esse ex-assessor trabalhou com Gerson durante 20 anos e teve R$ 60 mil bloqueados em sua conta devido à ação judicial. Hoje, na Praia do Canto, o autor do crime, foi tirar satisfação ao encontrar Gerson Camata na rua, próximo a uma padaria e a uma banca de revistas. Neste encontro iniciou-se uma discussão verbal, momento em que Marcos Venício sacou uma arma e efetuou um disparo que vitimou o ex-governador”, disse o secretário.



Governador Paulo Hartung lamenta a morte de Camata e decreta luto de 7 dias

O governador Paulo Hartung decretou luto de sete dias e colocou o o Palácio Anchieta à disposição para a realização do velório de Camata. “Recebi com muita tristeza a notícia da morte de um amigo, nosso querido ex-governador Gerson Camata. Gerson foi o primeiro governador eleito no nosso Estado no período de redemocratização do país. Fez um governo realizador e que entrou para a história dos capixabas. O Espírito Santo perde uma de suas principais lideranças. Decretei luto oficial de sete dias . Suspendi imediatamente todas as minhas agendas de trabalho para acompanhar de perto a apuração desse crime tão bárbaro . Estou colocando o Palácio Anchieta à disposição da família Camata para que o funeral seja realizado na sede oficial do governo”, diz a nota do Governo do Estado.

O governador eleito do Espírito Santo,Renato Casagrande, também emitiu nota de pesar sobre o assassinato de Camata. “Consternado com o brutal assassinato do ex-governador Gerson Camata. Lamentável que um homem como ele, que tanto contribuiu para o desenvolvimento do nosso Estado, tenha perdido a vida de forma tão trágica. Nos despedimos hoje, com muita tristeza, desse líder carismático e agregador, que fez história no Espírito Santo. À família, meus sentimentos e minha solidariedade nesse momento de dor”, pondera Casagrande.

Quem foi Gerson Camata?

Gerson Camata se formou em Economia pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)e também atuou no jornalismo policial na década de 1960, no programa Ronda Policial, da Rádio Espírito Santo, que era líder de audiência.

Camata iniciou a carreira política em 1967, como vereador de Vitória, pelo partido Arena. Em 1970, elegeu-se deputado estadual, e em 1974, deputado federal pelo Espírito Santo, pelo mesmo partido. Foi reeleito em novembro de 1978 e, com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a consequente reorganização partidária, filiou-se ao PMDB, de oposição ao governo, em 1981 casou-se com a ex-senadora Rita Camata.

Em 1982 lançou sua candidatura ao governo do Espírito Santo, e venceu o pleito com 67{0909405194d4edacecc0ef9b9907b283292922b7d3bca200a962c23a17998b44} dos votos. Gerson foi o primeiro governador eleito após a redemocratização, e comandou o Estado de 1983 a 1986. Em 1986, desincompatibilizou-se para concorrer ao Senado, sendo substituído pelo vice-governador José de Morais.

Gerson Camata atuou na Assembleia Nacional Constituinte. Na mesma ocasião, sua então esposa, Rita Camata, que concorreu a deputada federal constituinte e se elegera como a mais votada no estado, também assumiu seu mandato. Reelegeu-se em 1994 e em 2002, totalizando 24 anos de atividade no Senado.

No último mandato, em maio 2006, assumiu a Secretaria de Desenvolvimento, Infraestrutura e Transportes do Espírito Santo a convite do governador Paulo Hartung e ficou no cargo até novembro. De seu casamento com Rita Camata, teve um casal de filhos, Bruno e Enza Rafaela.

Facebook Pagelike Widget
------- PUBLICIDADE -------





NOTÍCIAS RELACIONADAS