Estado

Shows com até 600 pessoas estão liberados no Espírito Santo

Com o afrouxamento das regras de aglomeração de pessoas a sensação é que a pandemia está caminhando para o fim, depois de eventos sociais, como aniversários, casamentos e formaturas, chegou a vez dos shows poderem receber até 600 pessoas no Espírito Santo. A nova regra começa a valer a partir desta quarta-feira (1º). A capacidade limite atual, nesses eventos, era de 300 pessoas, e esse número dobrou, permitindo shows fechados e abertos.

No entanto, muitas regras precisarão ser seguidas para reduzir os riscos de propagação do coronavírus nesses ambientes, como explica a secretária estadual de turismo do Espírito Santo, Lenise Loureiro, que compõe a Sala de Situação de Emergência em Saúde do governo do Estado. “É importante estar sempre de olho no alvará do Corpo de Bombeiros que consta também a capacidade, e dessa capacidade, é necessário fazer um corte de 50%. Uma casa que pode hoje atender mil pessoas, por exemplo, terá que ficar limitada a receber 500”.

Além disso, apesar de ser um show, não pode ter pista de dança. Também será necessário apresentar um comprovante de vacinação, com pelo menos a primeira dose, ou teste negativo de RT-PCR feito pelo menos 48 horas antes. Outra medida exigida é que a casa de shows vai ter que manter, na entrada, uma lista com o nome completo de todos os participantes.



Apesar das flexibilizações que permitem a presença de mais público em eventos sociais e shows, os empresários do setor de entretenimento no estado dizem que não é rápido nem fácil promover a retomada das atividades.A empresária Ariane de Oliveira, dona de um cerimonial em Vila Velha voltado para congressos, formaturas e casamentos, conta que vem se organizando desde o início do mês para realizar eventos. “Estamos aprendendo a usar os protocolos e também como fazer os nossos eventos acontecerem com a mesma alegria e com o mesmo tamanho do sonho do cliente, mas com segurança para todos”, disse.

“Acompanhamento dos números será realizado todo mês”, garante secretária

Segundo Lenise Loureiro é necessário fazer um acompanhamento mês a mês, e a expectativa é de que aos poucos as coisas melhorem.  “Queremos a cada mês dar passos para ampliar este número, se confirmada a estabilidade no número de casos e a diminuição deles. Então, mês a mês faremos uma releitura para que possamos chegar a uma temporada de verão ainda melhor”.

O imunologista Daniel Gomes acredita que, na prática, não há como cumprir os protocolos de segurança durante a realização de um show. Para o especialista, nem mesmo o teste negativo para a covid-19 será suficiente para evitar risco de contaminação. “Acho que o show vai contra tudo aquilo que a gente vem pregando, que é a não aglomeração, uso de máscara e manter o distanciamento. Isso tudo vai impactar nas questões de transmissão com possibilidade de aumentar o número de casos”.

Categorias
EstadoNotícias