Geral

Juízes acusados de venda de sentença no ES tem a prisão decretada e se apresentam no Quartel da PM

Os juízes Alexandre Farina Lopes e Carlos Alexandre Gutmann se apresentaram na noite da última quinta-feira (29) no Quartel da Polícia Militar do Espírito Santo, em Vitória, onde ficarão presos. O Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) decretou a prisão preventiva dos juízes, que já estavam afastados das funções acusados e investigados por venda de uma sentença de 2017.

Também foram determinadas as prisões preventivas do empresário Eudes Cecato e de Davi Ferreira da Gama. A sentença de março de 2017 diz respeito a interesses imobiliários de Eudes na Serra. Os pedidos de prisão foram feitos pelo Ministério Público e aceitos pelo TJES.

Durante a sessão em que os desembargadores do Tribunal de Justiça decidiram pelas prisões por unanimidade, a procuradora-geral de Justiça, Luciana Andrade, explicou que o pedido de prisão dos juízes não foi feito antes, na apresentação da denúncia, porque o Ministério Público entendeu que o afastamento deles seria já uma medida adequada. Mas, de acordo com a procuradora, esse afastamento não foi suficiente para impedir que os denunciados atrapalhassem as investigações.



A procuradora-geral do MPES disse que durante o procedimento criminal e depoimentos ficou evidenciado um cenário de contínua interferência na produção de provas pelos investigados. Por isso, o Ministério Público optou por pedir agora a prisão preventiva. Por questões de segurança, os juízes ficarão presos preventivamente na carceragem do Quartel Geral da Polícia Militar, em Maruípe -Vitória, onde ficam os policiais presos.

Categorias
GeralJustiçaNotícias