Notícias

Suspeito de matar o próprio pai é preso pela Polícia Civil em São Gabriel da Palha

A Polícia Civil prendeu na tarde dessa quinta-feira (6) em São Gabriel da Palha, o suspeito de matar o próprio pai, a prisão aconteceu no bairro Jardim Passamani durante o cumprimento de mandado de prisão. O suspeito de 25 anos não teve a identidade divulgada; de acordo com o delegado Rafael Caliman, os policiais realizaram diligências assim que o mandado foi expedido, localizando o suspeito, que não resistiu à prisão.

A investigação apontou que no dia do crime o suspeito mentiu aos policiais que atenderam a ocorrência dizendo que a casa tinha sido invadida. No entanto, a mentira rapidamente foi descoberta. O crime foi cometido na madrugada da última segunda-feira (3), na residência onde pai e filho moravam, no bairro Jardim Passamani. Na dia do crime o suspeito chegou a bater na porta da casa de uma vizinha, dizendo que um desconhecido tinha entrado na casa pela janela e dado um tiro na cabeça do seu pai.

No dia do crime, quando os policiais militares chegaram ao local, a vítima ainda respirava e o socorro foi acionado, mas o homem chegou sem vida ao hospital. As investigações começaram logo após o crime e, logo nas primeiras diligências, os policiais civis constataram que as informações dadas pelo filho da vítima eram falsas, e que ele poderia ter cometido o crime.



“Ao coletar depoimentos, constatamos que as declarações dele não podiam ser verídicas. Primeiro, ele disse ter saído pelos fundos da casa e procurado socorro na moradia de uma vizinha, ou seja, ele teria passado em frente à entrada da própria casa, justamente onde o suposto autor estaria. Segundo, por meio de uma câmera, policiais confirmaram que o filho fez esse trajeto andando e não correndo, como seria natural para quem procura ajuda para o próprio pai”, afirmou o delegado Rafael Caliman.

Mais evidências do crime

Outras evidências e depoimentos coletadas pela investigação indicam que o filho é o principal suspeito de matar o pai. Ainda segundo o delegado, o laudo cadavérico corrobora com os levantamentos da equipe de investigação. “O laudo informa que a morte ocorreu por ação de instrumento cortocontundente e não disparo de arma de fogo, conforme declarado pelo suspeito. Infelizmente, não conseguimos determinar o que foi usado como arma do crime, pois o objeto não foi encontrado”.

A investigação apontou que a motivação do crime seria um desentendimento entre pai e filho. O rapaz é usuário de drogas e vivia em desavenças com o pai, que não apoiava as atitudes do filho e chegou a registrar uma ocorrência informando que foi ameaçado por ele por não entregar o dinheiro solicitado. A Polícia Civil informou que o suspeito já foi encaminhado ao sistema prisional. O Inquérito Policial continua em andamento e deve ser concluído nos próximos dias. (fonte: Assessoria PC)

Categorias
NotíciasPolicial