Operação

Trabalhadores são mantidos em condições de trabalho escravo numa propriedade em Vila Valério

Cerca de 80 trabalhadores vindos de Minas Gerais foram encontrados em condições análogas à escravidão em uma propriedade no município de Vila Valério. Eles foram contratados  para trabalhar na colheita do café, a Superintendência do Trabalho recebeu denúncias de que eles eram mantidos em condições de escravidão, e foram resgatados nesta sexta-feira (7) durante uma operação com apoio da Polícia Federal.

De acordo com a Superintendência Regional do Trabalho do ES, além das péssimas condições de trabalho e moradia e da falta de pagamento de salários e outros direitos trabalhistas, parte os trabalhadores testaram positivo para covid-19 e eram mantidos no local sem tratamento de saúde ou isolamento. A propriedade fica na Fazenda Vargem Alegre, em Jurama e pertence ao empresário Raul Alves Roberti, marido da secretária de saúde do município.

“Eles fizeram a testagem, mas não tomaram providência nenhuma relacionada aos protocolos contra a Covid-19. As pessoas, mesmo doentes, foram mantidas trabalhando e alojadas junto aos demais, sem que houvesse isolamento”, afirmou o superintende do trabalho, Alcimar Candeias.



Informações apontaram que ao tomar conhecimento de que uma viatura da PF e da Superintendência do trabalho estava no município, o proprietário da fazenda tentou retirar os trabalhadores do local. “A fiscalização chegou a tempo. Quando chegamos lá, as pessoas estavam com as bolsas prontas. O dono da fazenda não foi encontrado no local”, disse o auditor.

Categorias
OperaçãoPolicialRegionalVila Valério